BOLSAS MASCULINAS

As bolsas, objeto de desejo da maiorias das mulheres, foram criadas, originalmente, para os homens.


Inspiradas nas publicações do site Esquire, da Hearst Itália, um site dedicado ao mundo do homem e suas paixões, entre elas, acessórios voltados para o universo masculino, trazemos quais tem sido as bolsas para Ele. Esperamos que gostem e aproveitem de nossas pesquisas. <3


A bolsa masculina sempre existiu

Para começar, quebramos um tabu graças à História: as bolsas masculinas sempre existiram. Sacos macios eram indispensáveis já na Idade Média, quando eram usados para transportar dinheiro ou outros itens úteis para uma viagem. Mas quando os bolsos costurados nas calças chegaram, os sacos foram abandonados, apenas para reaparecer no século XX. A viagem para fora de casa começa a diversificar os tipos de bolsas: para viagens longas, malas e baús, enquanto para viagens curtas, como um dia de trabalho, uma bolsa é ideal. E aqui surge a maleta, nascida para empresários de metade do mundo.



Desde os modelos em couro até os de tecido, desde aqueles com alças ajustáveis ​​até bolsas tipo mala, todas as propostas de bolsas masculinas são acessórios indispensáveis. Bolsas de ombro masculinas, por exemplo, permitem total liberdade de movimento, pastas profissionais e bolsas de trabalho para o homem de negócios contemporâneo e preocupado com a moda conferem estilo.



O sucesso da mochila

Mochilas e bolsas não são mais apenas um meio prático e funcional, mas uma maneira de afirmar identidade e estilo. De desenhos animados a estampas díspares, em cores sólidas ou com aplicações, as passarelas viram a mochila de volta à moda (se alguma vez passou), reinterpretada em muitas versões: da clássica mochila de camping maxi a modelos discretos e urbanos com linhas essenciais, para serem usados como saco para o escritório ou para o estúdio. Formas e usos que refletem os tempos, mudando e adaptando-se à mobilidade cada vez mais difundida e portabilidade do trabalho.


A mochila masculina é uma comodidade: não há outra forma de definir um acessório muitas vezes esquecido, senão ridicularizado, do guarda-roupa masculino. As próprias marcas e designers tiveram uma abordagem hesitante para criar uma peça de sucesso incerto, apresentando-a apenas em formas padronizadas, cores neutras e materiais resistentes, deixando pouco espaço para a criatividade. "




Clássica ou revisitada, aqui está a pasta

Inicialmente foi dividido em compartimentos, útil para separar os diferentes documentos, ao longo do tempo foi enriquecido com subdivisões e bolsos para guardar objetos tecnológicos e acessórios relacionados, como carregadores, fones de ouvido, discos rígidos. Os modelos são diferentes, desde o elegante com alças curtas de couro, passando pelo tecido esportivo, até a alça do ombro. É um acessório insubstituível e ainda muito presente nas coleções, uma declaração para o homem clássico que não quer abrir mão de um look formal.




A terceira via: a bolsa carteiro

No meio do caminho como um híbrido, perfeito para os indecisos, há o chamado carteiro, o saco mensageiro nascido em meados do século XIX. Tinha uma forma adequada para montá-lo nas selas dos cavalos, e continha pacotes e letras, justamente porque era exclusivo dos carteiros. Os cavalos foram substituídos pela bicicleta, até que em 1980 John Peters fundou Manhattan Portage e a bolsa carteiro ficou na moda, feita de tecido ou couro, padronizada ou registrada, para qualquer bolso e gosto. Um toque de funcionalidade sem sacrificar a estética.



Apostas das grandes marcas

Nos desfiles das ultimas estações podemos observar também um retorno das pochetes tão famosas e usadas nos anos 80, junto com outras peças pequenas e práticas, para levar o essencial e deixar as mãos livres. A novidade é que a peça não vem presa à cintura, mas sim atravessada no pescoço, deixando todos os pertences protegidos e em fácil alcance.



Fonte: Esquire | Pinterest | Vogue


5 comentários

© 2015 by Gisele Germany

Mastri é um ateliê-escola de produção artesanal e modelagem de acessórios em couro